21/09/2013

Recortes da Semana - Tudo aquilo que li e recomendo para você!


Tudo aquilo que li durante a semana estará aqui em forma de "Clipping" (recortes). Um apanhado de textos que, acredito, são importantes para o conhecimento dos meus leitores e seguidores. Curta, comente e faça também as suas recomendações!! Vou adorar saber sua opinião!


Nota: Devido à correria das últimas duas semanas, não pude fazer os recortes de todas as minhas leituras, algumas muito polêmicas. Por isso, fiz um filtro para colocar apenas as mais relevantes.


Lindo, emocionante e pertinente! O relato de Cynthia Beltrão no FemMaterna sobre a maternidade especial nos mostra como é importante desconstruir ideais maternos que pouco ou nada beneficiam a mulher. Ao contrário, só causam mais sofrimento e culpa! Valei muuuuito a pena ler!!

"Antes de mais nada, não existe nada de especial mesmo em ser mãe. Isso pode soar maldoso ou insensível, mas é verdade. Num país onde não temos direito nem acesso pleno a planejamento familiar, incluindo aí a legalização do aborto, maternidade não é uma opção. Pode ser algo extremamente especial num nível individual, fantástico, maravilhoso, espiritual mesmo. Mas se é assim para uma, pode não ser para todas. Pra muitas mulheres é uma imposição. E se não existe opção, não existe escolha plena. Sem escolha, nada resta de especial."

Leia mais AQUI.


A invenção da infância. Vídeo sugerido para discussão em um grupo que participo, e eu achei bem bacana para reflexão!

Gênero: Documentário
Diretor: Liliana Sulzbach
Duração: 26 min   Ano: 2000   Formato: 16mm
País: Brasil   Local de Produção: RS
Cor: Colorido
Sinopse: Ser criança não significa ter infância. Uma reflexão sobre o que é ser criança no mundo contemporâneo.

Veja o vídeo AQUI.


A campanha/pesquisa Chega de Fiu fiu gerou bastante polêmica. Mas foi também super frutífera, pois está fazendo muita gente (re)pensar no assunto. Mostra que algumas atitudes/cantadas que muitos homens achavam normais, inofensivas, podem causar traumas e MEDO em muitas mulheres. Veja o resultado AQUI.

“Ninguém deveria ter medo de caminhar pelas ruas simplesmente por ser mulher. Mas infelizmente isso é algo que acontece todos os dias. E é um problema invisível. Pouco se discute e quase nada se sabe sobre o tamanho e a natureza do problema. Para tentar entender melhor o assédio sexual em locais públicos, a Olga colocou no ar, em agosto, uma pesquisa elaborada pela jornalista Karin Hueck, como parte da campanha Chega de Fiu Fiu. Contamos com 7762 participantes e 99,6% delas afirmaram que já foram assediadas  - um número tão alto que já dá a ideia da gravidade do problema.”


Outro assunto polêmico: a Desescolarização, que já vem sendo debatido há algum tempo, está novamente em voga.  Por isso, estou trazendo pra cá um vídeo bem legal postado no blog de uma colega, Amanditas, e pergunto: Qual sua opinião a respeito? Veja o vídeo AQUI.


Revistas femininas: Há décadas "ajudando" as mulheres a ficarem neuróticas, ‘gueixas’ de seus companheiros, que fazem de tudo, tudo mesmo, para obedecer e agradar seus homens, perpetuando o poder do macho!!

Eu já fui, por um longo tempo, confesso, assinante de uma dessas revistas, quando ela pregava o bordão que “chique é ser inteligente” (acho não preciso nem citar o nome, né?). Mas deixei de assinar, após passar vários e-mails indignados, os quais não obtive quaisquer retorno, porque a revista mudou completamente de ótica, com o passar do tempo, e eu percebi que estava sendo enganada! O que a grande maioria d@s editor@s dessas revistas ainda não percebeu é que a mulher que ser tratada como tal e não como uma “mulherzinha”!, que estamos cansadas de artigos machistas que querem nos estereotipar e nos manter na linha da submissão aos desejos masculinos e que merecemos respeito e autonomia sobre nosso próprio corpo! 

Qual é a função das revistas femininas? Por Alex Castro

 

Essas revistas, em sua insistência em arrumar maneiras para manter, segurar, conquistar, agradar seu homem, são cúmplices e continuadoras do poder masculino: imaginam uma leitora ideal que (será que existe?) obedece e agrada seu homem quando ele está por perto e, quando ele não está, lê NOVA para aprender dicas de como agradá-lo ainda mais. De qualquer modo, sua vida sempre gira em torno do prazer do seu homem, seja quando aprende 100 dicas pra perder aqueles últimos duzentos gramas, ou novas formas de malhar a panturrilha enquanto cozinha e faz a cama.

Leia mais AQUI.

0 comentário(s):

Postar um comentário

Quando a última árvore cair, derrubada; quando o último rio for envenenado; quando o último peixe for pescado, só então nos daremos conta de que dinheiro é coisa que não se come".

(Índios Amazônicos)

Twitter Facebook Google+ Email More